Prémio Festival Caminhos do Cinema Português

Premiados do Festival Caminhos do Cinema Português 2022

Caminhos do Cinema Português Notícias

A 28ª edição do Festival Caminhos do Cinema Português encerrou no dia 19 de Novembro (sábado), com uma cerimónia na Sala D. Afonso Henriques (antiga igreja) do Convento de São Francisco, em Coimbra, marcando também a estreia deste local como anfitrião do Festival.

Um cineconcerto do filme “Hipnotismo ao Domicílio”, pela banda conimbricense Victor Torpedo & The Pop Kids, e a entrega dos cerca de três dezenas de prémios do Festival marcaram a cerimónia.

Hipnotismo ao Domicílio” é uma curta-metragem sobre sonambulismo, caracterizada na altura como sendo “inspirada em farsas americanas”. Foi realizado por Reinaldo Ferreira (1897-1935) e tem como protagonista o actor Alves da Costa (1896-1971).

A musicar o filme estão Victor Torpedo & The Pop Kids. Uma banda criada pelo músico de Coimbra Victor Torpedo (Tédio Boys, The Parkinsons, Tiguana Bibles) a quem se juntaram Miguel Cordeiro (Nevoeiro), Miguel Benedito (D3o), Pedro Chau (The Parkinsons, Ghost Hunt) e Ricardo Brito (The Parkinsons, Fugly, Pespakova, Wakadelics).

Os prémios são decididos pelos jurados das Seleções Caminhos, Ensaios, Outros Olhares, Imprensa e o Júri da Federação Internacional de Cineclubes.

O Júri Caminhos é composto pelo actor Miguel Nunes, as actrizes Leonor Silveira e Sónia Balacó, o produtor cultural Miguel Ribeiro e o artista plástico José Maçãs de Carvalho. Já a Seleção Ensaios tem como jurados o actor Isac Graça, a produtora cultural Regina Machado e o realizador Diogo Salgado.

Os prémios da Seleção Outros Olhares foram entregues pelo investigador Ricardo Namora, a realizadora Rosa Coutinho Cabral e o professor Tiago Fernandes. O Júri de Imprensa teve como integrantes a jornalista e crítica de cinema alemã Barbara Lorey, acompanhada de Vilma Reis, jornalista brasileira radicada em Coimbra, onde trabalha na revista Coimbra Coolectiva, e Paulo Portugal, autor do site Insider.pt. Já entre os jurados da Federação Internacional de Cineclubes (FICC), estão Jacob Hansson (Suécia) e Gustavo Mariné (Catalunha).

Premiados:

Seleção Outros Olhares:

Melhor filme: Objetos de Luz (Acácio de Almeida e Maria Carré)
Menção Honrosa: Luana (Maria Simões e Tiago Melo Bento)

Seleção Ensaios:

Menção Honrosa Ensaio Internacional: The Midwife (Anne-Sophie Bailly)
Melhor Ensaio Internacional: Ventanas (Jhon Ciavaldini)
Menção Honrosa Ensaio Nacional de Animação: Rua do Caneiro (Leonor Faria Henriques)
Melhor Ensaio Nacional de Animação: A MAIOR GAIOLA DO MUNDO (Marta Ribeiro, Catarina
Colaço)
Menção Honrosa Ensaio Nacional: No Fim do Mundo (Abraham Escobedo-Salas)
Melhor Ensaio Nacional: MISTIDA (Falcão nHAGA)

Imprensa:

Menção Honrosa: Às Vezes os Dias, Às vezes a Vida (Janine Gonçalves)
Prémio de Imprensa: Viagem ao Sol (Ansgar Schaffer e Susana de Sousa Dias)

Federação Internacional de Cineclubes:

Menção Honrosa: Garrano (David Doutel & Vasco Sá)
Prémio D. Quijote: Alma Viva (Cristèle Alves Meira)

Seleção Caminhos:

Melhor Som: Ed Trousseau (Ice Merchants)
Melhor Realização: Cristèle Alves Moreira (Alma Viva)
Melhor Montagem: Miguel da Santa (Aos Dezasseis)
Melhor Guarda-Roupa: Patrícia Dória (Fogo Fátuo)
Melhor Fotografia: Joana Pimenta (Mato Seco em Chamas)
Melhor Direção Artística: João Rui Guerra da Mata (Fogo Fátuo)
Melhor Cartaz: Tiago Carvalho (Aos Dezasseis)
Melhor Caracterização: Sofia Frazão (A Rapariga Imaterial)
Melhor Banda Sonora Original: Carlos Guerreiro e Manuel Riveiro (Os Demónios do Meu Avô)
Melhor Argumento Original: Cristéle Alves Meira e Laurent Lunetta (Alma Viva)
Melhor Interpretação Secundária: Ana Padrão (Alma Viva)
Melhor Interpretação Principal: Pedro Fasanaro (Deserto Particular)
Prémio FSS Revelação: Lua Michel (Alma Viva)
Prémio União de Freguesias de Coimbra Melhor Curta-Metragem: 2a Pessoa (Rita Barbosa)
Prémio Turismo do Centro Melhor Animação: Ice Merchants (João Gonzalez)
Prémio Universidade de Coimbra Melhor Documentário: Atrás Dessas Paredes (Manuel Mozos)
Prémio Cidade de Coimbra Melhor Ficção: Fogo Fátuo (João Pedro Rodrigues)
Grande Prémio Cidade de Coimbra: Mato Seco em Chamas (Joana Pimenta e Adirley Barbosa)

Prémio do Público Crisótubos: Alma Viva (Seleção Caminhos), Cesária Évora (Outros Olhares),
Midnight Glow (Ensaios)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *